Itália aprova visto para nômades digitais

[ad_1]

Nômades digitais já podem incluir a Itália na lista de países que estão de braços abertos para receber esse tipo de profissional. O país oficializou recentemente seu visto para pessoas que trabalham remotamente.

A nova lei italiana permite que cidadãos sem passaportes da União Europeia morem e trabalhem no país legalmente com o visto de Nômade Digital. Na prática, a ideia da Itália, assim como a de outros países, é atrair trabalhadores estrangeiros com mão de obra qualificada e de alta renda.

Visto italiano para nômades digitais

Dentre as opções de vistos para nômades digitais nos países da União Europeia, o documento italiano não é dos mais fáceis de conseguir, mas é possível para profissionais com bons recursos financeiros e experiência na aérea de atuação.

Exigências (de forma resumida):

  • Ser um profissional “altamente qualificado” para trabalhar remotamente – como autônomo ou funcionário
  • Ter um salário anual de cerca de 28 mil euros (R$ 150 mil, ou seja, R$ 12.500 por mês) – renda comprovada em folha de pagamento ou como prestador de serviços
  • Ter experiência na aérea de atuação (diploma de graduação há mais de três anos, licença profissional ou comprovação de experiência na aérea com documentos)
  • Comprovar seis meses de experiência profissional na área com trabalho remoto
  • Comprovar a possível moradia na Itália
  • Comprovar a possível cobertura de saúde no país (privada ou do Serviço Nacional de Saúde italiano, que custa € 2.000 euros por ano, cerca de R$ 10,8 mil)
  • Não ter sido condenado por nenhum crime nos últimos cinco anos
  • Após aprovação do visto, ao chegar à Itália, o imigrante terá oito dias para solicitar a permissão de residência
  • Trabalhadores autônomos também deverão solicitar um número de IVA (Imposto sobre Valor Agregado) e pagar os impostos locais.

Os interessados devem se inscrever no consulado italiano antes de viajar ao país. Caso o visto seja concedido, terá a validade de um ano, podendo ser renovado uma vez. Além disso, familiares podem ser inclusos no processo de visto.

Vários países já aderiram ao visto de Nômades Digitais, alguns deles são:

Andorra, Montenegro e Letônia ainda planejam se abrir para esses profissionais. A Alemanha oferece visto freelancer por três meses, mas, dependendo do caso, a autorização pode se tornar um visto de residência de três anos.

Visto de Nômade Digital na Espanha

Estou morando em Sevilha, na Espanha, justamente pela recente lei espanhola para trabalhadores remotos. A autorização foi concedida ao meu marido, que é autônomo, e também consegui a permissão por ser dependente dele no processo de visto. O visto de Nômade Digital na Espanha tem duração de um ano, podendo ser prorrogado por mais dois.

Contratamos uma advogada para fazer os trâmites legais, por não termos experiência no assunto. Mas é possível tentar o visto por conta, em um consulado brasileiro, seguindo as orientações dos sites oficiais.

sevilha praça de espanha

No nosso caso, solicitamos a autorização durante nossas férias na Espanha, então em pouco mais de um mês recebemos a permissão de residência.

Sem dúvida, esta autorização foi uma baita oportunidade para aprender uma nova cultura e idioma, já que não temos cidadania europeia por descendência para poder morar uma temporada fora do Brasil. Além disso, após os dois anos morando na Espanha com este visto, você pode solicitar a cidadania espanhola!

Com informações do site Forbes.


Se interessa pelo assunto e pensa em tentar algum visto de Nômade Digital? Participe nos comentários!

[ad_2]

Fonte: Melhores Destinos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *